Desperdício Zero na Cozinha #1 - Princípio Base

 

     A minha maior dificuldade nesta caminhada contra o desperdício tem sido a cozinha, tentamos comprar tudo a granel - o que conseguimos, tendo em conta a nossa localização - e conseguimos reduzir significativamente o uso de plásticos cá em casa, mas acabo sempre por comprar comida de mais e por deixar estragar um legume ou outro, por não saber o que lhe fazer ou como usar. Felizmente temos uma Inês na nossa vida que, não só faz takeovers à nossa cozinha - adoramos!!!! - como a sua preocupação para com as bananas farrusquinhas deste mundo é coisa para nos enternecer a todos. Que se salvem os farruscos, as frutas feias e os renegados desses mercados, a Inês ajuda 💛🌿


 Buddha Bowl, Receitas Tolerantes

Buddha Bowl, Receitas Tolerantes

     Olá a todos!

     O meu nome é Inês e sou dona de um cantinho chamado Receitas Tolerantes onde partilho as minhas receitas.     

     Gosto de cozinhar coisas simples, saudáveis e que me façam feliz, gosto pouco de desperdiçar comida e, quem me conhece, sabe que sou a primeira pessoa a pedir - ou a levar - uma caixinha para levar comida para casa quando janto fora. Também adoro aproveitar todos os restinhos que tenho no frigorífico - frescos ou cozinhados - transformando-os em pratos novos  ou em bonitas Buddha Bowls


     Hoje, a pedido da minha querida amiga Inês Espada, trago-vos este desafio: como reduzir o desperdício alimentar em casa.

     Quem segue o meu blogue poderá ter reparado que muitos dos meus posts começam com "tinha lá em casa x e y para gastar, e lembrei-me de fazer...", este é - para mim - o princípio base da redução do desperdício: cozinhar em função do que tenho disponível na despensa ou no frigorífico e não em função duma receita específica. Claro que há excepções, se tivermos um jantar de amigos, ou um evento familiar, e queremos mesmo levar aquele prato ou sobremesa
especial, não tem mal nenhum mas, ainda assim, se conseguirmos fazer substituições para evitar desperdício, tentamos sempre fazê-lo.

 

 

     Partindo deste princípio base, vejo quais os ingredientes que temos disponíveis no frigorífico, ou na despensa, incluíndo fruta e legumes frescos - que são tipicamente o que tende a estragar-se mais depressa -, e crio um plano semanal em função disso. Fazer um plano semanal ajuda-me a comer de forma mais saudável, a controlar o desperdício e a organizar melhor as refeições durante a semana. As 2 ou 3 horas que demoro a preparar tudo ao Domingo, poupam-me muito trabalho durante a semana. Caso não queiram, ou não consigam ir tão a fundo, podem começar por planear apenas a refeição seguinte com base neste princípio.

 Restos reinventados: 1/2 batata doce com uma sobra de húmus, dip de beringela e tofu crocante acompanhada de uma saladinha de verdes.

Restos reinventados: 1/2 batata doce com uma sobra de húmus, dip de beringela e tofu crocante acompanhada de uma saladinha de verdes.

     

     Depois de pensar numa possível receita (ou receitas) que possa fazer com os ingredientes que tenho, penso em possíveis substituições. Por exemplo, se a receita pede couve flor, se calhar posso substituir pela courgette farrusca que está a precisar de ser gasta 😜 e por aí fora. Por fim, faço uma lista de compras com o que falta, para garantir que compro apenas o que preciso. Muito importante: não ir às compras com fome - especialmente no meu caso, que sou uma esfomeada 😂 - caso contrário, a lista vai crescer rapidamente!

     De qualquer forma, há sempre umas coisinhas que acabam por saltar para o carrinho e que, caso não consiga gastar durante a semana, vão acabar por servir de base ao plano da semana seguinte.

 

 

 

     Para além desta “regra de ouro”, há mais algumas coisas que podemos fazer para minimizar o desperdício alimentar. Daqui por duas semanas trago-vos mais alguns dos meus truques.

     Até já,


     Inês,
Receitas Tolerantes